Disponibilidade nutricional e segurança alimentar no Brasil entre os anos de 2000 a 2014

Autores

  • Pedro Henrique de Abreu Paiva
  • Thiago Gentil Ramires
  • Danielle Gonçalves de Oliveira Prado
  • Luiz Ricardo Nakamura

DOI:

https://doi.org/10.22167/2675-441X-20210588

Palavras-chave:

alimentos, agropecuária, qualidade de vida

Resumo

A segurança alimentar, disponibilidade de alimentos e
agropecuária no Brasil estão estritamente ligados. Em um país que saiu,
em 2014, do mapa da fome, considerar as variáveis mencionadas é de
extrema importância para a elaboração de políticas públicas e fomento
à indústria de alimentos. Este artigo tem como objetivo analisar a
evolução da disponibilidade nutricional e segurança alimentar a
partir do ano de 2000 até 2014. Para tanto, foi utilizada uma pesquisa
descritiva com análise de dados de fontes secundárias da Organização
das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) e da
Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios realizada pelo Instituto
Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Os resultados indicaram
que a insuficiência nutricional diminuiu no período analisado e a
oferta de alimentos superou a necessidade média diária dos brasileiros.
Ainda assim, existia uma insuficiência média de catorze quilocalorias
por pessoa ao dia. A segurança alimentar também aumentou de 2004
para 2013. Com tudo isso, a população brasileira passou a ter melhores
condições nutricional/alimentar. Cabe destacar que ainda existe um
grau de insegurança e incerteza em relação ao futuro, no que tange
a suficiência de fatores que propiciem o bom desenvolvimento
nutricional dos indivíduos brasileiros.

Referências

Banco Mundial. 2018. Word Development Indicator (WDI) – Agricultural land (% of land area). Disponível em:

databank.worldbank.org/data/source/world-development-indicators>. Acesso em: 10 ago. 2018.

Casarin, V. 2012. Produção de alimentos – O desafio do século. Informações Agronómicas, 139. Disponível

em: <http://www.ipni.net/PUBLICATION/IA-BRASIL.NSF/0/28F4927903D4F4B983257A9B0041AFF2/$FILE/

IAPage24-139.pdf>. Acesso em: ago. 10, 2018.

Food and Agriculture Organization of the United Nations (FAO). 2018a. Average value of food production (constant

-2006 I$/cap) (3-year average), Depth of the food deficit (kilocalories per person per day) and Average

dietary energy supply adequacy (percent) (3-year average). Disponível em: <http://www.fao.org/faostat/en/?#data/

FS>. Acesso em: ago. 10, 2018.

Food and Agriculture Organization of the United Nations (FAO). 2018b. Value of Agricultural Production – Gross

Production Value (constant 2004-2006 million US$) – Agriculture and Food. Disponível em: <http://www.fao.org/

faostat/en/#data/QV>. Acesso em: ago. 10, 2018.

Gil, A.C. 2008. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6ed. Editora Atlas S.A., São Paulo, SP, Brasil.

Guardiola, J.; Gónzález-Gómez, F. 2010. La influencia de la desigualdad en la desnutrición de América Latina: una

perspectiva desde la economía. Nutrición Hospitalaria, 25: 38-43.

Hoffmann, R. 2008. Determinantes da insegurança alimentar no Brasil: análise dos dados da PNAD de 2004.

Segurança Alimentar e Nutricional, 15(1): 49-61.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 2008. PNAD: insegurança alimentar nos domicílios cai de

,2% em 2009 para 22,6% em 2013. Agência IBGE de notícias. Disponível em: <https://agenciadenoticias.ibge.

gov.br/agencia-sala-de-imprensa/2013-agencia-de-noticias/releases/14735-asi-pnad-inseguranca-alimentarnos-domicilios-cai-de-302-em-2009-para-226-em-2013>. Acesso em: out. 12, 2018.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 2014. Pesquisa Suplementar de Segurança Alimentar PNAD

A percepção das famílias em relação ao acesso aos alimentos. Diretoria de Pesquisas – Coordenação de

Trabalho e Rendimento (IBGE / DPE / COREN). Disponível em: <https://ww2.ibge.gov.br/home/presidencia/

noticias/imprensa/ppts/00000020112412112014243818986695.pdf>. Acesso em: set. 5, 2018.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 2018. Domicílios particulares (mil), Moradores em domicílios

particulares e Situação do domicílio, por situação de segurança alimentar existente no domicílio. Pesquisa

Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD). Disponível em: <https://sidra.ibge.gov.br/pesquisa/pnad/

suplementos/seguranca-alimentar>. Acesso em: ago. 10, 2018.

Mello, G; Welle, A.; Oliveira, A.L.M. 2018. A crise prossegue: baixo crescimento e alta desigualdade no Brasil pósrecessão. Centro de Estudos de Conjuntura e Política Econômica – IE/UNICAMP Nota do Cecon, n. 3. Disponível

em: <http://www3.eco.unicamp.br/cecon/images/arquivos/NotaCeconConjuntura.pdf>. Acesso em: out. 10, 2018.

Mondini, L.; Rosa, T.E., Gubert, M.B.; Sato, G.S.; Benício, M.H.D.A. 2011. Insegurança alimentar e fatores

sociodemográficos associados nas áreas urbana e rural do Brasil. Instituto de Economia Agrícola (IEA)

Informações Econômicas, SP, 41(2): 52-60. Disponível em: <http://www.iea.sp.gov.br/ftpiea/publicacoes/ie/2011/

tec5-0211.pdf>. Acesso em: out. 10, 2018.

Oliveira, M.F. 2011. Metodologia científica: um manual para a realização de pesquisas em Administração. Manual

(pós-graduação) – Universidade Federal de Goiás (UFG). Catalão/GO. 72 p.

Organização das Nações Unidas (ONU). 2008. International Standard Industrial Classification of All Economic

Activities (ISIC), Rev. 4. United Nations Statistical Papers, 4, 2008. Disponível em: https://www.bundesbank.

de/Redaktion/EN/Downloads/Service/Meldewesen/Bankenstatistik/Kundensystematik/isic_rev_4.pdf?__

blob=publicationFile. Acesso em: set. 5, 2018.

Organização das Nações Unidas (ONU). 2016. Objetivos do Desenvolvimento Sustentável. Brasil. Disponível em:

<http://www.itamaraty.gov.br/images/ed_desenvsust/ODSportugues12fev2016.pdf>. Acesso em: ago. 10, 2018.

Riani, F.; Rabelo, R. 2015. Carta de Análise Econômica Conjuntural. Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais

(PUC Minas). Instituto de Ciências Econômicas e Gerenciais. Departamento de Economia. Ano 4. nº 41. Disponível

em: http://portal.pucminas.br/documentos/iceg_conjuntura_carta41.pdf. Acesso em: out. 10, 2018.

Saath, K.C.O.; Fachinelo, A.L. 2015. Crescimento da demanda mundial de alimentos e as limitações do fator

terra no Brasil. In: IX Encontro de Economia Catarinense. Associação de Pesquisadores em Economia

Catarinense. Unochapecó. Chapecó (SC). Disponível em: <http://www.apec.unesc.net/IX_EEC/sessoes_

tematicas/%C3%81rea%20tem%C3%A1tica%208%20-%20Desenvolvimento%20Rural%20e%20AF/6%20

CRESCIMENTO%20DA%20DEMANDA.pdf>. Acesso em: set. 2, 2018.

Silva, J.G.; Tavares, L. 2008. Segurança alimentar e a alta dos preços dos alimentos: oportunidades e

desafios. Segurança alimentar e nutricional, 15: 62-75.

Downloads

Publicado

09-12-2021

Como Citar

Paiva, P. H. de A., Ramires, T. G., Prado, D. G. de O., & Nakamura, L. R. (2021). Disponibilidade nutricional e segurança alimentar no Brasil entre os anos de 2000 a 2014. Quaestum, 2, 1–9. https://doi.org/10.22167/2675-441X-20210588

Edição

Seção

Artigos